Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

Paixão por Lisboa

Espaço dedicado a memórias desta cidade

A Bica do Regueirão dos Anjos

"A Bica, situava-se na zona do Regueirão dos Anjos, no local onde este é cortado pelo viaduto da Rua Febo Moniz. Incluída nos alicerces da própria ponte, no recanto que dá entrada às escadinhas, esta bica constituía um pitoresco painel da Lisboa antiga.
Sobre o nicho lê-se numa lápide:
ESTAOBRA
MANDOVFAZER
OSENADODACAMA
RAACVSTADOREALD
POVONOANNO D 1636
Traduzindo: O Senado da Câmara mandou fazer esta obra à custa do tesouro público, no ano de 1636.
A construção do viaduto deve ter alterado a posição da primitiva bica, já que, por debaixo desta inscrição está gravada, em cantaria, uma planta que assinala uma topografia diferente da actual."

Adenda, às 19.00 Horas:

Grosso modo, é o que vem escrito na "Revista Municipal". Mas, analizando o atlas da carta topográfica de Lisboa, de 1858, de Filipe Folque, a Bica dos Anjos situava-se bem mais a sul. Situava-se aliás a Sul da própria Igreja dos Anjos (a anterior à actual), dando até nome a uma Travessa ainda hoje existente (Tavessa da Bica aos Anjos).

Pela leitura do livro de Velloso de Andrade, Memória sobre Chafarizes, ficamos a saber que o poço que deu origem à Bica se situava perto da referida Igreja. Contudo nos registos fotográficos existentes, relativos a essa mesma Bica situada na Rua Direita de Arroios, não se vislumbra nenhuma lápide

Existia outra bica, chamada Bica das Fontainhas, em que a data descrita por Velloso de Andrade 1685, não corresponde com a data gravada na lápide 1636.

Correcção:

Não é o que vem escrito, mas o que resultou da minha falta de atenção, na leitura do referido artigo, o artigo refere "Bica do Regueirão dos Anjos", e não Bica dos Anjos.

 

Arco do Regueirão dos Anjos, junto à Rua Febo Mo

Arco do Regueirão dos Anjos, junto à Rua Febo Moniz, 1951, foto de Eduardo Portugal, in a.f. C.M.L.

memoriasobrechaf00vell_0161.jpg

 in "Memoria sobre chafarizes, bicas, fontes, e poços públicos de Lisboa, Belem e muitos logares do termo"

memoriasobrechaf00vell_0162.jpg

in "Memoria sobre chafarizes, bicas, fontes, e poços públicos de Lisboa, Belem e muitos logares do termo"

memoriasobrechaf00vell_0163.jpg

in "Memoria sobre chafarizes, bicas, fontes, e poços públicos de Lisboa, Belem e muitos logares do termo"

memoriasobrechaf00vell_0160.jpg

in "Memoria sobre chafarizes, bicas, fontes, e poços públicos de Lisboa, Belem e muitos logares do termo"

memoriasobrechaf00vell_0161.jpg

in "Memoria sobre chafarizes, bicas, fontes, e poços públicos de Lisboa, Belem e muitos logares do termo"

Regueirão dos Anjos, 1845, foto de Fernando Marti

Regueirão dos Anjos, lápides alusivas à Bica dos Anjos, 1945, foto de Fernando Martinez Pozal, in a.f. C.M.L.

Rua dos Anjos, 1907, foto de Machado & Souza.jpg

 Chafariz da Rua direita dos Anjos, 1907, foto de Machado & Souza, in a.f. C.M.L. Não se vê qualquer lápide.

0001_M (1)1.jpg

Atlas da carta topográfica de Lisboa n.º 28, 1858, de Filipe Folque, in A.M.L.. Com a localização do Chafariz da Rua direita dos Anjos.

0001_M1.jpg

Atlas da carta topográfica de Lisboa n.º 20, 1858, de Filipe Folque, in A.M.L.. Com a localização da Igreja dos Anjos, e a seta que marca o local onde mais tarde se veio a abrir a Rua Febo Moniz

Bibliografia consultada:

"Revista Municipal";

"Memoria sobre chafarizes, bicas, fontes, e poços públicos de Lisboa, Belem e muitos logares do termo"

Mais sobre mim

foto do autor

Calendário

Setembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Pesquisar

 

Visitante

Tradutor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D